.posts recentes

. O poder das palavras

. A beleza

. Simplesmente nascendo

. o Termo

. A temporalidade da vida

. Sentir

. Recomeço

. Olhos nos olhos

. Os meus amados

. o mar e eu

. Tudo e tudo

. Numa madrugada

. Lágrima

. O meu amor pela vida

. Solidão

. Acabará sempre

. Poemas escritos em prata

. As horas

. A arte nas estrelas

. Poema pequeno

. Desejo

. E tudo o resto

. O que é senão a vida!

. Mais que um segundo

. Desejo

. Nascer e depois viver

. Um poema

. Amo

. O sentido das coisas

. Agnes

. Lágrima

. Amar

. Simplesmente ser

. Posso

. Nascimento

. A maré

. A magia da vida entrelaça...

. Desde pequena

. Porquê?

. Uma fábula moderna

. Anseio

. Eu

. Pinceladas

. Adoro

. Mãe

. Sofia, nome de uma Ana me...

. Cor

. A cor do céu

. Ana

. canções do mar

.arquivos

. Março 2009

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2007

Um poema

Poema.

Podia ser um poema de anjos e fadas ….assim como no teatro

ou como nos livros infantis!

Mas este poema é sobre mim!

Poema que conta a essência da naturalidade, pois natural me fiz!

Poema que conta a beleza

onde ela não nasceu para mim!

Poema  que canta a minha balada, 

sempre sendo o amor... o meu fim!

 Um poema com poema se canta.

Mas quando cantado com a alma, o poema encanta!

E um poema declamado por uma criança faz uma vida feliz!


publicado por cancioneiro às 16:33

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2007

Amo

 

 

Pego no conceito amar,

e ele concebe-me a mim… a ti….!

Por mim… por ti….!

Eu consigo amar tudo …pelo tempo da minha vida!

Amo as horas em que estou triste;

Amo o meu fiel cão;

Amo a contemplação da vida;

Amo a chuva que estraga o dia;

Amo o sol mesmo em demasia;

Amo o sonho que não se concretizou;

Amo o encanto do acordar;

Amo o sorriso da alegria;

Amo...

Amo o solo em que piso…a minha terra… a nossa terra!

A terra que nós possuímos.

O tesouro do ser humano!

E à volta  as galáxias… os planetas…o universo!

E eu pego no conceito do amor e vejo que tudo o que existe tem origem no amor…

Porque tudo o que eu amo é amor?

Porque tudo o que nós amamos é amor!

Quanto à  maldade… já não sei o que é!

Espero que com o tempo se torne branda, e se consiga transformar em afeição e que se une aos sentimentos bons do coração! 

 

 

 

 

 


publicado por cancioneiro às 20:33

link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 21 de Janeiro de 2007

O sentido das coisas

Ao luar, dispo a alma de preconceitos...
Pela noite dentro, imortalizo a beleza das estrelas, venerando a escuridão do céu!
Ao amanhecer, irradio felicidade só de ver o sol despontar!
Sómente durante a tarde, acalmo a minha ansia de contemplar a perfeição da existência!

publicado por cancioneiro às 16:07

link do post | comentar | favorito
|

Agnes

Agnes, menina tão preciosa … que sorria  sempre para o sol…

Agnes…

Que esqueças a vida de outrora tão tragicamente perdida!

Que renovas os teus votos com a própria vida e fiques sua noiva eternamente!

Agnes, nome singelo, mas com uma alma tão difícil !

Agnes, simplesmente simples!

 

 

 


publicado por cancioneiro às 16:04

link do post | comentar | favorito
|

Lágrima

Uma lágrima escorregou

na minha face inconsolável!

Uma lágrima!

Simplesmente… uma lágrima deslocada ...

pois enquanto o meu espírito estava triste, essa lágrima contente estava!

 

 


publicado por cancioneiro às 15:51

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 15 de Janeiro de 2007

Amar

Amo!
Amo
 a sua presença e a sua distância!
Amo a sua naturalidade ao encarar 
todos os dias, os momentos dificies...
Amo a sua persistência ao saber que o fim está mais perto...
Amo porque me ama!...
Amo e amarei porque estarei sempre unida a esta força,
tão liberta,
 que só a corrente da vida, prende!

publicado por cancioneiro às 14:23

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 10 de Janeiro de 2007

Simplesmente ser

                           
 
 
Falava abertamente.
Palavras mágicas, saíam efusivamente,
Perturbadas, geladas.
Descreviam o seu medo, do mundo… das horas… do tempo!
Enrolavam-se nas ondas do pensamento.
Saiam dele, nuvens estreladas,
Belezas de montanhas, montes e rios.
Amava a segurança,
De se sentir segura.
Cunhava no ferro a sua postura!
Falava de si, deles e de todos.
Falava da solidão.
Até a solidão de quando se está com pessoas!
Falava da grandeza dos sentimentos,
Das almas que se dão por amor, a outras!
Falava…
Falava…
Falava abertamente…
Pois falar era a única coisa que sabia fazer na temporalidade da vida”
 

publicado por cancioneiro às 20:51

link do post | comentar | favorito
|

Posso

Posso…

 

Posso sentir beleza ao olhar para o céu enevoado, deste Inverno rigoroso.

Posso sentir imensidão ao pensar no mar  do meu Portugal querido.

Posso sentir compaixão ao ver  todos os que pedem na rua: um pouco de calor …um pouco de sentimento para tapar o vazio, que ninguém imagina que alguém possa experimentar!

Posso sentir-me acarinhada… basta um olhar mais fundo

                                             basta uma palavra mais generosa

                                             basta um sorriso verdadeiro

Posso sentir-me amada.

Eu vivo o amor como se vive uma amizade.

Eu vivo o dia a dia como se respira,

naturalmente…

sem fantasias!

 

Posso amar quem queira…

Posso odiar o melhor e adorar o pior!

 

Posso ajudar quem quiser ajuda!

Não tenho medo do sofrimento  … já vivi a dor!

E quem não conviveu  ainda com a amargura!

 

Posso gostar de tudo!

Posso não gostar de nada!

Mas não posso ter tudo o que quero!

Mas ninguém pode neste mundo!

Somente há pessoas que podem ter mais... ou muito mais que outras!

 

Para mim,

viver não significa ter!

Para mim,

viver significa ser!

 

 

 


publicado por cancioneiro às 17:52

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 5 de Janeiro de 2007

Nascimento

Finalmente...nasceste!
Ao nasceres
ofereceste-me o sonho que eu sempre sonhara!
Ao nasceres
concedeste-me a paz na minha alma!
Ao nasceres
amei como nunca jamais pensei amar!
Ao nasceres
nasci outra vez !
                
                

publicado por cancioneiro às 18:18

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds