.posts recentes

. O poder das palavras

. A beleza

. Simplesmente nascendo

. o Termo

. A temporalidade da vida

. Sentir

. Recomeço

. Olhos nos olhos

. Os meus amados

. o mar e eu

. Tudo e tudo

. Numa madrugada

. Lágrima

. O meu amor pela vida

. Solidão

. Acabará sempre

. Poemas escritos em prata

. As horas

. A arte nas estrelas

. Poema pequeno

. Desejo

. E tudo o resto

. O que é senão a vida!

. Mais que um segundo

. Desejo

. Nascer e depois viver

. Um poema

. Amo

. O sentido das coisas

. Agnes

. Lágrima

. Amar

. Simplesmente ser

. Posso

. Nascimento

. A maré

. A magia da vida entrelaça...

. Desde pequena

. Porquê?

. Uma fábula moderna

. Anseio

. Eu

. Pinceladas

. Adoro

. Mãe

. Sofia, nome de uma Ana me...

. Cor

. A cor do céu

. Ana

. canções do mar

.arquivos

. Março 2009

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

Terça-feira, 3 de Abril de 2007

E tudo o resto

 

 

 

Nas faces geladas das pessoas que passeiam nas ruas invernosas,

Está estampada a canseira,

A solidão…

A vivência do amor…!

A força da alma!

A realidade… que quase sempre não é branda!            

 

A essência valiosa do espírito;

 O materialismo traiçoeiro;

 E a enigmática beleza do corpo, fazem parte, de um passeio no parque, onde quase já neva!

           

E o Inverno continua.

O frio congela quem passa nas ruas, nesta hora tão tardia!

E os dissabores e sabores da vida prosseguem,

Como tem que ser!


publicado por cancioneiro às 11:53

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds